Ex-prefeito Neto usou o dinheiro que era para a construção da câmara para fechar as contas do mandato

Desde a gestão do ex-prefeito Wilmar Reichembach (PSDB) é
defendida a ideia de construção de um Centro Administrativo e Legislativo, que
abrigaria as secretarias e todas as salas da prefeitura municipal e câmara de
vereadores de Francisco Beltrão. Por isso, na época, foi proposto um “acordo”,
de que a administração depositaria numa conta bancária, um recurso, para que
num futuro próximo, pudesse dar início a construção deste prédio público. Porém
o acordo foi descumprido, sem a concordância dos vereadores, na última gestão,
pelo então prefeito Antonio Cantelmo Neto (PMDB), que se viu “obrigado” a
retirar o dinheiro da conta, para fechamento dos valores de sua administração.
Essa informação foi confirmada pelo secretário de finanças, Elóis Rodrigues que
repassou a notícia à presidente da câmara de vereadores, Elenir Maciel (PP),
numa conversa que aconteceu nesta sexta-feira, 20 na prefeitura. A diretora de
finanças, Zeli Jonikaites e o assessor contábil da câmara, Claiton Charles
Comin.

Os números repassados são de que existia depositado na conta
até o início dezembro do ano passado, R$ 6,2 milhões. Deste dinheiro, sobraram
R$ 44 mil, mas que já ficaram empenhados para pagamento de INSS. De acordo com
Elóis, o dinheiro foi utilizado para pagamento do 13º salário dos professores,
para a quitação das dívidas com os moradores da trincheira, na aquisição de
medicamentos da farmácia municipal e UPA, e ainda, em parte dos salários, de
dezembro, dos servidores da saúde. “Se ele não tivesse esse dinheiro, que é de
recurso livre, as contas do prefeito Neto não fechariam. Por causa desses
valores, certamente o tribunal de contas vai aprovar as contas do ex-prefeito,
mas a conta e os recursos que eram para a construção do centro administrativo e
legislativo estão zerados, vamos ter que recomeçar todo o trabalho”, disse o
secretário de finanças.

Além disso, existia um saldo anual, que era devolvido da
câmara de vereadores ao executivo municipal, com indicações de obras ou
projetos que pudessem ser aplicados os recursos. Porém, nos anos 2014 e 2015 a
câmara de vereadores devolveu os valores e parte dos recursos foi aplicada nas
indicações. Mesmo assim, sobraram R$ 664 mil e mais os R$ 806 mil que foram
devolvidos no final do mês de dezembro. O ex-prefeito Neto também utilizou
esses valores para fechar as contas do mandato. Quase R$ 1,5 milhão para
pagamento de energia elétrica da prefeitura, de escolas municipais e parcerias
que estavam pendentes no final da gestão. “Tudo foi resolvido graças a
eficiência do setor de contabilidade da prefeitura e porque tinha o dinheiro
disponível na conta. O ex-prefeito usou todo o recurso devolvido pela câmara
para fechar as contas do seu mandato”, comentou Elóis.

A vereadora Elenir Maciel (PP), presidente da câmara de
vereadores, disse que não sabia desta informação, e por isso, levou a notícia
ao conhecimento do prefeito Cleber Fontana (PSDB) para saber se existe uma
forma de reaver os recursos que foram retirados. Entretanto, Elóis disse a
vereadora que não existia nenhum empecilho de que o ex-prefeito Neto não
pudesse usar o dinheiro, a não ser, o acordo verbal firmado entre as partes.

No último dia do mandato, o ex-prefeito Neto recebeu os
valores da repatriação, que não eram esperados, e por isso, sobrou como recurso
livre, aproximadamente R$ 2 milhões.