Câmara aprovou auxílio à Amarbem e debate sobre estradas

Na segunda sessão ordinária da câmara municipal de Francisco Beltrão, ontem, no final da tarde, foram aprovados dois projetos do executivo municipal e um requerimento do vereador Jocemar Madruga. A sessão também foi marcada por debates dos vereadores a respeito, principalmente das estradas do interior. O projeto 9/2011, introduz mudanças na lei 2.633/97 e amplia o número de cargos de Técnico de Enfermagem, no quadro de funcionários do município, passando de 17 para 27. A matéria foi aprovada por unanimidade, a exemplo do projeto 12, que concede auxílio financeiro mensal à Amarbem, Associação Marrecas do Bem Estar do Menor, no valor de R$ 4.288,00. Com isso, o município fará os repasses no período de fevereiro a dezembro deste ano. Também foi aprovado requerimento do vereador Jocemar Madruga (PT), solicitando a realização de audiência pública entre agricultores e a secretaria do interior, sobre as estradas rurais. “É uma reivindicação antiga”, disse o vereador, afirmando que as estradas necessitam de atenção urgente, porque muitas delas apresentam-se intransitáveis. A matéria gerou intensa discussão (acompanhe na matéria abaixo). 
A câmara volta a se reunir hoje, quando haverá a segunda discussão das matérias aprovadas ontem e entrarão em pauta o projeto 14, que concede auxílio financeiro no valor de R$ 1.700,00 mensais, à Casa de Nutrição Nossa Senhora da Glória e o projeto  15, que concede auxílio financeiro de R$ 7 mil mensais à Associação Comercial e Empresarial de Francisco Beltrão. O benefício será prestado de fevereiro a dezembro deste ano.


 


Findex e auxílio


 


O repasse à Acefb tem o objetivo de manter o Findex, incubadora de empreendimentos inovadores e tecnológicos. Já o auxílio à Casa de Caridade é motivado pela ação da entidade, que dá assistência a pessoas carentes, servindo refeições e funcionando como casa de passagem.


 


Estradas do interior geram debate 


 


Um intenso debate foi travado ontem na câmara de vereadores motivado pelo requerimento do vereador Jocemar Madruga (PT), propondo audiência pública para tratar das estradas rurais do município. O vereador afirmou que as estradas estão muito ruins e até intransitáveis em alguns pontos. A matéria teve aprovação unânime, mas gerou discussão intensa. Almir Calegari (PT) disse que falta planejamento em relação à estradas. “Não é possível que 15 dias de chuva causem tanto prejuízo”, destacou. O que está faltando é um organizar melhor o sistema de recuperação das vias do interior, fazer calçamento em pontos críticos. “Não é por causa da chuva, mas por estarem mal conservadas que as estradas estão hoje nessa situação”, enfatizou Almir. 
O vereador Luiz Carlos “Didio” dos Santos (PSDB), comentou que é difícil agradar os agricultores. “As chuvas intensas do último mês dificultam o trabalho”. Celso Antunes (PSDB) defendeu a administração, afirmando que em fevereiro choveu quase todos os dias e não houve condições para  manter as máquinas em atividade. “Fui agricultor e sei que a estrada ruim causa transtornos, mas o clima tem atrapalhado muito”. Antunes lembrou aos vereadores o compromisso manifestado pelo prefeito, de manter as máquinas em atividade durante os fins de semana, para recuperar as estradas, assim que o tempo estiver bom.


 


 


Salário mínimo


 


Outro assunto que gerou discussão na câmara foi a aprovação do salário mínimo de R$ 545 pela câmara federal. O vereador Jocemar Madruga (PT) afirmou que o tema tem gerado intensa discussão. “É hora de parar de discutir o salário mínimo; vamos discutir o salário máximo ou o valor suficiente para que as famílias vivam com dignidade”. Questionado pelo vereador Ivo Santos (PSC), disse que o valor ideal para manter uma família, seria em torno de R$ 2 mil mensais, de acordo com o Diese. O vereador Didio diz que o governo faz demagogia em torno do salário mínimo. Celso Antunes (PSDB) aproveitou para criticar o congresso nacional, afirmando que “o salário deles é votado sem discussão, mas o mínimo é debatido intensamente antes de ser aprovado”. Também criticou o fato de o Brasil emprestar dinheiro ao FMI e perdoar dívidas de outros países e lamentou o baixo valor das aposentadorias.


 


Banheiros nos postos de saúde


 

O vereador Almir Calegari (PT) criticou a inexistência de banheiros para as pessoas que vão até os postos de saúde durante a madrugada para apanhar fichas. “Há pessoas que vão para as filas às 3  horas da madrugada, muitos são idosos e não tem sequer um banheiro”, enfatizou. Segundo ele, nem mesmo no posto de saúde da Cango, recentemente inaugurado, há banheiros para os usuários fora do horário de expediente. Defendeu que a administração se preocupe com o assunto. O posicionamento de Calegari teve o apoio dos vereadores Didio (PSDB) e Celso Antunes (PSDB). Calegari sugeriu  que seja informatizada a liberação de fichas para atendimento médico, para acabar com as filas nos postos de saúde. E por fim reclamou da inexistência de limpeza pública na Avenida General Osório no bairro Cango.  Destacou que é uma das principais vias da cidade e precisa de mais atenção porque não é comum haver acúmulo de lixo em toda a sua extensão. E finalizou questionando os motivos pelos quais a limpeza é feita apenas nas ruas da área central.

%d blogueiros gostam disto: