VEREADORES DEBATERAM SAÚDE

       Na sessão extraordinária que a Câmara de Vereadores de Francisco Beltrão realizou na quinta-feira, 31 de janeiro, vários vereadores usaram a Tribuna e o debate foi polarizado sobre a questão da saúde. O tema foi iniciado pelo vereador Roberson Fiera, PT, que relatou que seis mil consultas e 1.500 cirurgias estão represadas. Segundo ele, em alguns casos pessoas esperam há mais de um ano. Para ele, a saúde pública está na UTI e há necessidade da realização de um mutirão para resolver o problema.

       O vereador Valmir Dile Tonello, PMN, falou sobre reunião realizada com a direção do hospital São Francisco, onde houve a informação sobre o atraso no repasse de recursos por parte do município e a determinação de corte no número de internamentos e procedimentos realizados através do SUS. O vereador Paulo Grohs, PSDB, destacou que a secretaria de saúde possui recursos e é necessário o urgente repasse para o hospital.

       Cleber Fontana, PSDB, destacou que a demanda por cirurgias e consultas é um problema difícil de resolver, em função da grande demanda. Sobre corte de recursos, ele disse que é preciso buscar mais dinheiro para a saúde e não promover cortes, como está acontecendo. Elenir Maciel, PP, também se posicionou contrária é redução de recurso para a saúde. Segundo ela é preciso sempre buscar mais apoio e recursos para o setor.

       De acordo com a vereadora Lourdes Pazzini, PMDB, em breve a secretária municipal de Saúde, Rose Guarda, deverá se encontrar com todos os vereadores para repassar informações e também debater mais o assunto. Sobre o hospital São Francisco, ela relatou que o mesmo não tem suporte para atender Beltrão e a região, mas a população necessita que o atendimento tenha continuidade.

%d blogueiros gostam disto: