Câmara realizou audiência pública para debater a reforma da previdência

Advogado Pedro Leite foi um dos palestrantes do evento.

A Câmara de Vereadores de Francisco Beltrão proporcionou ontem, 26, a oportunidade de um debate sobre a proposta de emenda constitucional 287/2016, que trata da reforma da previdência. Foi uma audiência pública apresentada pelo vereador Viro de Graauw(PT) e aprovada por unanimidade por todos os vereadores. O vereador Camilo Rafagnin(PT) ajudou na mobilização das entidades, assim como já havia feito, quando há 15 dias, também foi feita a audiência pública para discutir a reforma trabalhista.  A vereadora Elenir Maciel(PP) conduziu os trabalhos por ser a presidente do legislativo beltronense. Os palestrantes de ontem foram os advogados Geonir Vicensi e Pedro Leite, especialistas no direito previdenciário.

Dentre todas as informações apresentadas, Pedro destacou que, principalmente o jovem, deveria se preocupar com as medidas da reforma que está sendo apresentada, pois, o principal afetado serão os adultos entre 25 e 33 anos de idade. “Estimular o debate é sempre importante. A principal dúvida é de que se essa proposta vai ou não ser aprovada, e eu imagino que sim. Porém não acho que seja necessário neste momento, pois nosso congresso não tem essa capacidade de aprovar essa proposta e os principais institutos especializados em previdência apontam que a reforma será necessária somente em 2050”, disse Pedro.

O advogado Geonir Vicensi apresentando as informações sob os olhares dos vereadores Camilo Rafagnin(PT), Elenir Maciel(PP) e Viro de Graauw(PT).

Enquanto isso, o outro palestrante, Geonir Vicensi, advogado que atende na área previdenciária, fez questão de ressaltar a dificuldade que está sendo criada para todos os trabalhadores, mas especialmente, aos trabalhadores rurais. “Parabéns à Câmara de vereadores por propor esse debate, uma das únicas do Sudoeste, que está discutindo o assunto com audiências públicas, e destacar que os trabalhadores rurais terão um retrocesso. Nossa região possui 3500 propriedades rurais e serão aproximadamente R$ 6 milhões que deixaram de entrar no comércio local, se aprovada a reforma. O agricultor já contribui com 2,3% para o FunRural e a nova proposta exige que o trabalhador do campo terá de contribuir mais 5% para cada dependente. Infelizmente que vai pagar a conta da reforma serão os trabalhadores comuns, pois militares, parlamentares membros do judiciário e ministério público ficarão de fora da reforma”, comentou Geonir.

Depois da explanação dos dois advogados, os participantes puderam fazer perguntas e comentários. Basicamente, todos falaram dos investimentos que o governo do presidente Michel Temer(PMDB) está fazendo em publicidade, especialmente em grandes veículos de comunicação, para receber a aprovação da população através de campanhas publicitárias. No final, o vereador Viro de Graauw agradeceu a presença de todos e informou que será feito um documento com os assuntos abordados e enviado aos deputados federais do Paraná.

Os vereadores Léo Garcia(PSC), Pedro Tufão(DEM) e Lourdes Pazzini(PMDB) também acompanharam a audiência pública.