Pronunciamentos da 23ª Sessão Ordinária

Na sessão de terça-feira, o vereador Ivo Santos (PSC) pronunciou-se sobre projeto de lei 122/06 que está no senado e que, segundo ele, institui uma mordaça sobre as famílias brasileiras. A matéria trata da criminalização da homofobia, que, segundo a perspectiva proposta cria uma classe privilegiada e blindada de pessoas no sentido às críticas ou posicionamentos contrários ao comportamento homossexual, enfatizando que trata-se de uma posição opcional e não racial. O vereador alertou que o projeto já passou na câmara federal e depende de aprovação no senado.


A presidente da Câmara, Atanazia Hellmann Pedron (PP), fez dois convites: para o seminário municipal de educação na quinta e sexta-feira, que dará ênfase à inclusão. E convidou os vereadores para o encontro municipal de clubes de mães que acontecerá no sábado. Também comentou sobre o movimento organizado pela Associação dos Deficientes físicos, no qual ela participou. Elogiou a iniciativa da entidade e destacou que é uma maneira de chamar a atenção da sociedade.


O vereador Celso Antunes (PSDB) destacou a iniciativa da Associação dos Deficientes Físicos e elogiou a atenção da empresa Trans Scheid, que segundo ele, demonstrou boa vontade no atendimento aos deficientes.

O vereador Jocemar Madruga (PT), anunciou a liberação de R$ 268 mil, segundo comunicado que recebeu do gabinete do deputado Assis do Couto, para a pavimentação de ruas no loteamento Coohabel II. Segundo o vereador, a liberação dos recursos através da Caixa Econômica, é resultado de uma luta que vem sendo desenvolvida desde o ano passado.