PREFEITO VETA PROJETOS DO LEGISLATIVO

       Dois projetos do Legislativo aprovados por unanimidade foram vetados pelo prefeito Antonio Cantelmo Neto, PMDB. Um deles, da vereadora Elenir de Souza Maciel, PP, cria o programa social Centro Dia do Idoso em Francisco Beltrão, através de atendimento especializado e instalações adequadas para pessoas idosas, semi-dependentes ou portadores de enfermidades, que estejam em estado de vulnerabilidade social. Trata-se de um local para os idosos ficarem durante o dia, enquanto os familiares trabalham. A meta é atender famílias carentes, que não tem como pagar uma pessoa para fazer companhia ao idoso.

       De acordo com Elenir, a meta é proporcionar ao idoso e seus familiares bem estar social, melhoria na qualidade de vida e na integração. Também enfatiza que as pessoas idosas requerem cuidados e, muitas vezes, os familiares não podem oferecer por terem que trabalhar ou estudar. O programa visa oferecer atividades sócio-recreativas e terapêuticas, estimular o convívio social e o relacionamento interpessoal, em um espaço de acolhimento, proteção e convivência aos idosos.

       O outro projeto vetado é do vereador Paulo Grohs, PSDB, que cria o programa de distribuição gratuita de materiais escolares e uniformes escolares para os alunos da rede pública municipal de ensino. A medida atenderia os 6.626 alunos que freqüentam as escolas públicas do município. Paulo acredita que neste ano o investimento chegaria a R$ 1,2 milhão e salienta que os recursos já estão previstos no orçamento em vigor.

       Pelo projeto, os alunos receberão apontador, quatro lápis pretos, nove canetas pretas, azuis e vermelhas, seis cadernos, caderno de desenho, cola, tesoura, régua, borracha, giz de cera, lápis de cor, estojo e a mochila. O uniforme será composto de duas camisetas de mangas curtas e duas de mangas longas, uma blusa de agasalho, duas calças de agasalho, duas bermudas e um par de tênis. Também estabelece a implantação de forma gradativa, priorizando alunos das primeiras séries, e a formação de uma comissão de acompanhamento do programa.

       Os dois vereadores lamentaram a posição do prefeito e a maneira como ficaram sabendo do veto, através da publicação no Diário Oficial do Município. Na visão deles, antes da publicação, Neto deveria ter notificado a Câmara da sua decisão. Elenir e Paulo acham estranha a posição do executivo, visto que o objetivo dos projetos é beneficiar crianças e idosos carentes de Beltrão. Agora os dois vão trabalhar pela derrubada do veto na Câmara, mas para isso são necessários sete votos. Nos próximos dias, em data ainda a ser definida, o assunto será debatido e votado no plenário da Câmara.