VEREADORES QUEREM AÇÕES CONTRA ALAGAMENTOS

       Na Sessão Ordinária de terça-feira, 6, os vereadores de Francisco Beltrão aprovaram dois Requerimentos que tratam do problema de alagamentos quando chove com mais intensidade, a exemplo do que aconteceu na semana passada, quando dezenas de famílias tiveram suas casas alagadas e ficaram desabrigadas. Uma das matérias, de autoria dos vereadores Brizola, PSL, e Roberson Artifon Fiera, PT, solicita informações do executivo sobre o Conjunto Habitacional Adolfina Niedemeyer Scheid, composto de 19 casas inauguradas em 2011 e cujos moradores têm problemas com as cheias do Rio Santa Rosa.

       Eles pedem cópias dos laudos de fiscalização e de vistoria; do estudo técnico de área de risco de alagamento; do processo licitatório da execução da obra e do convênio celebrado com a Caixa Econômica Federal, junto ao Programa Minha Casa Minha Vida. Brizola e Roberson justificam que, além do problema de alagamentos, também receberam denúncias de que as casas seriam construídas em outro local, onde hoje fica o campo de futebol da Associação de Moradores, atualmente em desuso. Com isso buscam informações sobre toda a tramitação para a construção destas moradias e querem apurar responsabilidades em relação do local onde foram edificadas.

       Outro requerimento relacionado a enchentes é do vereador Paulo Grohs, PSDB, que solicita do executivo as seguintes informações: atuação da Comissão de gestão de Águas Pluviais que foi designada em 2011 para realizar estudos, sugestões, acompanhar a execução de obras e serviços de combate aos efeitos de intempéries climáticas, principalmente enchentes; implantação de obras e projetos permanentes para combater enchentes e alagamentos na cidade, como a construção de reservatórios de amortecimento de cheias; conjunto de ações e planejamento de longo prazo e um Plano Diretor de Drenagem contra enchentes; previsão da continuação dos trabalhos de rebaixamento e dragagem do Rio Marrecas e córregos que cortam a cidade; medidas que serão tomadas para diminuir os danos causados pela enchente à população; estudar os pontos críticos que alagam e transformar em parques de lazer.

       Sobre o uso de bacias de amortecimento de águas pluviais, o vereador Paulo Grohs lembra que está iniciando no Brasil. Apenas algumas grandes cidades implantaram este tipo de controle, como São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre, mas as estruturas implantadas já mostram o seu potencial para a solução de problemas históricos de drenagem urbana nestas cidades. Ele defende a criação de projetos permanentes para mitigar os efeitos das enchentes e dos alagamentos. Na sua visão controlar as cheias e proporcionar escoamento adequado das águas pluviais é garantir melhor qualidade de vida para a população Beltronense.

       Requerimentos tratando de outros assuntos também foram debatidos e aprovados. O vereador Ivanir Tupi Prolo, PP, pediu envio de ofício para o deputado federal Nelson Meurer, PP, para que viabilize recursos do Governo Federal para a aquisição de um trator e equipamentos para os agricultores da Vila Rural Água Viva, de Nova Concórdia. Tupi também reivindicou da administração municipal a recuperação da estrada ligando o KM 30 até Ponte Nova do Cotegipe e perfuração de um poço artesiano no Rio Saltinho. Tupi e Roberson Fiera sugeriram que seja feita uma parceria das prefeituras de Beltrão e de Ampére para a construção de uma nova ponte no Rio Ligação, na divisa dos dois municípios.

       Por meio de Indicações o vereador Paulo Grohs solicitou medidas permanentes da prefeitura para evitar que a água proveniente do Córrego Lambari, no bairro São Miguel, alague residências nas ruas Marechal Floriano Peixoto e Marechal Hermes da Fonseca. A vereadora Maria de Lourdes Pazzini, PMDB, solicitou que a prefeitura designe um servidor para atender na unidade de saúde da comunidade do Rio Tuna e que sejam feitas melhorias nas estradas vicinais que ligam Volta Alegre ao KM 15 e São Brás a Palmeirinha.

%d blogueiros gostam disto: