Projeto da Guarda Municipal foi retirado por 30 dias

O projeto 014/2017, mais conhecido como da “Guarda Municipal” foi retirado por 30 dias através de uma solicitação feita pelo vereador Zé Carlos Kniphoff(PDT) e colocada em votação com a confirmação de sete parlamentares a favor da retirada e cinco contrários, lembrando que a presidente Elenir Maciel(PP) não vota, somente em caso de desempate.

Os vereadores que votaram favoráveis a retirada do projeto são: Zé Carlos Kniphoff(PDT), Rodrigo Inhoatto(PDT), Pedro Tufão(DEM), Evandro Wessler(PPS), Aires Tomazoni(PMDB), Daniela Celuppi(PT) e Camilo Rafagnin(PT). Os vereadores que votaram contrários a retirada são: Fran Schmitz(PSDB), Silmar Gallina(PSDB), Léo Garcia(PSC), Dile Tonello(PMN) e Lurdes Pazzini(PMDB).

A principal alegação do vereador Aires Tomazoni, líder da oposição, é pela questão prudência com as contas do município. Ele afirmou que será favorável ao projeto, mas quer esperar para analisar com calma os números apresentados pela Administração Municipal. “Os primeiros quatro meses foram muito bons em relação a receita, porque tinha IPTU, IPVA e outros impostos, mas agora a tendência é a diminuição dos recursos, e temos que pensar em outras situação emergenciais como Hospital São Francisco, estradas do interior e educação”, disse Aires.

A líder da situação da Câmara, Fran Schmitz disse que vai aguardar um posicionamento oficial do prefeito, mas disse que está tranquila, pois a Administração conversou e explicou aos vereadores todos os números e o impacto que isso vai gerar nas contas da gestão. “A segurança está em segundo lugar na lista de prioridades da população, só está atrás da saúde, mas os vereadores entenderam que precisam adiar a votação. O prefeito já fez todos os esclarecimentos necessários, pois além da audiência pública, ele veio à Câmara na semana passada e repassou mais detalhes que faltavam aos vereadores. Pensamos que seria votado nessa sessão, mas agora vamos aguardar o posicionamento do prefeito”, declarou Fran.

O vereador Zé Carlos Kniphoff(PDT) reiterou a preocupação com o orçamento do município e disse que vai aguardar mais detalhes da Administração para tomar a decisão sobre o voto. “Sou presidente da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara, tenho obrigação de me preocupar com os números. Estou sentindo falta de alguns dados que são importantes para que o projeto não prejudique a população no futuro. Estamos tendo prudência neste momento”, informou Zé Carlos.

A matéria deve voltar a pauta das sessões somente após o recesso do meio de ano.

Aires Tomazoni(PMDB) líder da oposição:

 

Fran Schmitz(PSDB) líder da situação:

 

Zé Carlos Kniphoff(PDT) solicitou a retirada do projeto:

%d blogueiros gostam disto: