Câmara aprova empréstimo de R$ 10 milhões para a prefeitura

O Executivo Municipal encaminhou para o Poder Legislativo, um projeto de lei, solicitando a autorização para que o município possa contratar um empréstimo junto a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 10 milhões. De acordo com o projeto, o objetivo é executar obras em infraestrutura urbana e rural, e desenvolver ações em equipamentos públicos e aquisições de maquinários.

O assunto foi debatido na sessão desta segunda-feira, 17, entre os vereadores, e aprovado por oito votos favoráveis e quatro contrários. Os vereadores Lurdes Pazzini(MDB), Paulo Grohs(PSDB), Silmar Gallina(PSDB), Léo Garcia(PSC), Elenir Maciel(PP), Dile Tonello(PMN), Ademir Walendolff(PRP) e Evandro Wessler(PPS) foram a favor do crédito. Já os vereadores Daniela Celuppi(PT), Camilo Rafagnin(PT), Aires Tomazoni(MDB) e Rodrigo Inhoatto(PDT) foram contrários. O presidente do Poder Legislativo, José Carlos KNiphoff(PDT) não vota, somente se houvesse um empate.

Na tribuna, Aires justificou o voto contrário com um comentário sobre a preocupação com as finanças do município, com destaque para as dívidas a curto, médio e longo prazo, que nos números apurados pelo vereador, estão num total de aproximadamente R$ 61 milhões. “Essa casa de leis já aprovou um empréstimo de R$ 8 milhões em fevereiro de 2017 e agora o executivo quer mais R$ 10 milhões. Esse dinheiro, o município vai ter que pagar e com juros, não sou favorável ao empréstimo, mesmo que tenha crédito”, disse o vereador.

Já nas explicações pessoais, o vereador Silmar Gallina argumentou que em relação àqueles R$ 8 milhões que foram aprovados no início da gestão do prefeito Cleber Fontana(PSDB), o município utilizou, aproximadamente, R$ 6,6 milhões, e agora, o crédito liberado será de R$ 10 milhões, mas não significa que o prefeito vai usar todo o recurso. “Analisando os empréstimos feitos pela administração atual será equilibrado com os precatórios que o prefeito terá que pagar até o final do mandato que vão chegar na casa de R$ 14 milhões. Portanto, em números reais, o empréstimo do prefeito será de R$ 2 milhões para os quatro anos de mandato. E como todos sabem, os precatórios são pagos com dinheiro dos recursos livres. Olhando os números a gente consegue entender porque está sendo feito essa operação de crédito, sem comprometer as finanças do município”, explicou Silmar.

Nesta terça-feira, 18, o assunto volta a pauta na sessão ordinária e a tendência é de que seja aprovada novamente, em segunda discussão e votação da câmara de vereadores.

%d blogueiros gostam disto: