Reutilização da água do Ar Condicionado é obrigatória nos prédios públicos municipais

Alunos do Colégio Glória

O Colégio Nossa Senhora da Glória, de Francisco Beltrão possui um projeto que foi aplicado com os alunos dos sextos anos através dos professores e direção da instituição de ensino privada, que consiste na captação da água dos aparelhos de ar condicionado e a reutilização desta água para outras finalidades, como limpeza e outros fins, além de ser uma forma de combate ao mosquito Aedes Aegypt e uma ação sustentável. Diante de uma explanação recente dos alunos do colégio, no plenário da Câmara de Vereadores de Francisco Beltrão, o vereador Silmar Gallina(PSDB) resolveu apresentar um projeto de lei, para que os prédios públicos municipais também possam aderir a esta iniciativa. A matéria contou com a votação unânime dos vereadores da casa, e deverá ser aplicado o projeto, assim que o prefeito Cleber Fontana(PSDB) sancionar a lei.

“O ar condicionado apresenta em sua estrutura, o dreno, é a parte responsável por remover a água produzida pelo aparelho, retirando a umidade do ambiente em que está instalado, ou seja, realizando o processo de condensação (a água passa do estado gasoso para o líquido). Em contrapartida, problemas comuns nos aparelhos podem ter origem no dreno, causando, muitas vezes, o gotejamento, perda na eficiência do aparelho e até mesmo o mau odor no ambiente em que o ar condicionado está instalado. A água acumulada nas bandejas dos aparelhos de ar condicionado, produto da má condição do dreno do aparelho, além das consequências mencionadas, se torna um ambiente ideal para a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue. É fundamental, para a prevenção da dengue, evitar locais que podem armazenar água limpa parada, ou seja, é preciso manter as bandejas externas secas. Outro problema ocasionado por esse gotejamento do ar condicionado de janela é a danificação das estruturas dos prédios, infiltração e formação de limo, ocasionando acidentes com os pedestres. Assim sendo, é necessário colocar um duto para redirecionar o líquido para local apropriado, evitando os efeitos já mencionados”, argumentou Silmar.

O condicionador de ar não produz diretamente a água. Ela surge da condensação do ar retirado do ambiente interno. Esta água é perdida no ambiente externo, diminuindo a umidade relativa do ar no ambiente interno. De acordo com o projeto apresentado e executado pelos alunos do Colégio Glória, um ar condicionado, dependendo da umidade relativa do ar local e da potência do aparelho, gera uma quantidade significativa de água, diariamente. Em média de 37 a 57 litros de água são condensados pelos condicionadores de ar, por dia.

“Milhões de condicionadores de ar são utilizados diariamente no mundo inteiro, ao mesmo tempo em que se desperdiçam bilhões de litros de água na atmosfera, que, uma vez aproveitados, podem ajudar a conservar este importante recurso, contribuindo na luta contra o aquecimento global. A tendência atual é um agravamento desses problemas, uma vez que o Brasil tem o terceiro maior mercado de condicionadores de ar e refrigeração do mundo.Esta proposição tem o intuito de implantar uma solução alternativa, com o objetivo de reaproveitamento racional, que é a captação da água proveniente dos aparelhos de ar condicionado em novas edificações e com fixação de prazo à adaptação das edificações já existentes. O investimento feito para adequação do projeto não é tão caro, se levar em consideração o custo/benefício e a economia de água a médio prazo”, finalizou o vereador.

%d blogueiros gostam disto: